1. Quais dos estudos feitos no meu prenatal devo trazer comigo?
No Brasil são normalmente feitos mais estudos pre-natais dos que os recomendados nos Estados Unidos*. Portanto, é raro que faltem estudos na maioria dos casos de gestantes vindas do Brasil. No entanto, como regra geral, para gestantes chegando apos 28 semanas de gestação, é ideal que tenham também seus estudos de terceiro trimestre (sifilis, HIV, hepatite B, rubeola) já concluidos. Estudos de Gonorrea, Clamídia, e Streptococo são feitos conosco as 35 semanas de gestação. Para informações mais detalhadas, acesse o link Exames Para Trazer de Seu Pré-Natal.
2. Quais os exames realizados no hospital após o nascimento do bebê?
Durante os primeiros dias após o nascimento do bebê, são feitas os seguintes estudos e tratamentos:
  • 1. O bebê recebe a sua primeira vacina de Hepatite B dentro dos primeiros dois dias de vida.
  • 2. Logo ao nascer, recebe uma dose injetável de vitamina K.
  • 3. Após 24 horas de vida é feito o “teste do pezinho ” e do coraçãozinho (screening for CCHD).
  • 4. O exame de audição, recomendado no primeiro mês de vida, é feito na clinica pediátrica por um custo de US$90.
3. Em quanto tempo após o parto posso viajar?
Se sugere que a viagem de retorno seja feita somente apos a administração da primeira série de vacinas. Essa, por protocolo, pode ser iniciada somente depois que o bebê tenha 6 semanas de vida. Após a vacinação, idealmente deve-se esperar 10 dias adicionais para que haja suficiente tempo com que as vacinas façam efeito.
4. É possível fazer parto normal após uma cesariana?
De acordo com o protocolo seguido pelos nossos obstetras, para minimizar riscos á mãe e ao bebê, não realizamos parto normal após cesariana excepto em específicas circumstancias.
5. Com até quantas semanas de gestação posso viajar?
Nossa recomendação geral é que a gestante viaje até 32 semanas de gestação. Essa recomendação é similar a impostas por companhias aéreas devido à responsabilidade deles caso o parto aconteça em pleno vôo. Mais importante, a decisão de até quando uma viagem pode ser feita deve ser baseada no quadro clinico da gestante em acordo com seu/sua obstetra, o qual realizou o acompanhamento pré-natal da gravidez no país de origem. É útil que esse/essa redija uma carta para companhia aérea alegando que a paciente se encontra em plenas condições de embarcar nas datas marcadas.
6. Tenho a opção de escolher parto normal ou cesárea?
Nossos obstetras respeitamos a escolha da gestante. A decisão entre parto normal ou cesárea esta na mão da gestante, contanto que não haja indicação médica para uma cesárea. Ao fim, essa decisão vem ser o resultado de processo dinâmico de comunicação aberta entre o obstetra e a gestante durante todo o processo da gestação.